Brincadeira de pedólatra

Era uma quarta feira, o dia de trabalho já tinha rendido o suficiente e resolvi ir mais cedo para o Hotel, por volta de 5 da tarde encerrei os trabalhei, peguei o taxi e segui para o hotel que ficava no centro de Porto Alegre, no caminho fui pensando o que faria naquele dia, tinha que sair para jantar em algum lugar e estava cansado de tudo o que eu já conhecia (nas redondezas do hotel) e resolvi entrar na internet para procurar um lugar novo e agradável, foi quando abri o MSN e tive a surpresa de encontrar ela, Grazi (nome fictício), comentei que estava em Porto Alegre e chamei para jantarmos e imediatamente ela topou.

Combinamos em um restaurante de massas, fui para lá e a esperei, uns 20 minutos mais tarde ao combinado, quando eu já estava para pedir minha comida achando que ela não viria, adentra a porta uma loira, vestindo um casaco tipo sobre tudo e botas, a bota tinha salto fino e era bem alta, talvez salto 15, não sei, fiquei desconcertado, quando chegou perto, nos cumprimentamos e pude perceber como aquela mulher era perfumada, pedi para ela sentar olhava naqueles lindos olhos, aquele rosto lindo de pele macia.

Realmente desconcertado com tamanha beleza, sempre fotos são melhores que a pessoa ao vivo, mas nesse caso era o contrário, a mulher bonita da foto tinha se tornado na mulher linda do restaurante.

Durante o jantar conversamos sobre nossas vidas, internet, nosso encontro, trabalho, mas o mais impressionante era seu olhar, aqueles olhos lindos me olhavam dentro de meus olhos, um olhar fatal, meio safado que parecia me comer, aquilo me deixou louco de vontade de ficar com aquela mulher, mas isso era algo que eu não me importava, estávamos sentados e conversando por que éramos amigos e tinha certeza que uma mulher linda como aquela não se interessaria por mim.
http://1.bp.blogspot.com/_WR4hbyVEb6Y/TKnwAQ101SI/AAAAAAAAAtY/uxzzngQk6Po/s1600/sub.jpg
Passados algumas horas de uma conversa muito prazerosa resolvemos ir embora, afinal já era tarde e ambos teríamos que trabalhar no dia seguinte, resolvemos pegar o mesmo taxi, mas tinha um problema, o hotel era caminha da casa dela e eu ficaria antes dela, quando chegamos na porta do hotel, sabe aquela expressão “atirar pra todo lado pra ver se acerta alguém”? foi o que eu fiz, tava perdido já, então convidei-a para subir e para a minha surpresa, ela aceitou, fiquei sem reação, ela ficou com vergonha e disse em seguida que era melhor não, mas eu a convenci novamente.



Chegamos ao quarto, liguei o aquecedor, perguntei se ela queria beber algo, meu notebook estava ligado sobre a mesa e ela foi dar uma olhada, perguntou algumas coisas do meu trabalho e eu fiquei de pé falando algumas coisas e mexendo na TV e ela pediu para deitar na cama, eu disse sim, quando ela se levantou da cadeira e no caminho para a cama eu a agarrei pela cintura, ela sem ação, parou, me olhou e eu a beijei, puxando ainda mais forte a cintura dela contra a minha, nisso ela passou uma mão pelas minhas costas e a outra pelo meu pescoço, senti meu corpo estremecer nos beijamos por um tempo, quando paramos de nos beijar, ela disse:

- O que foi isso? –ela
- Um beijo! –eu
- Por que fez isso? –ela
- Porque desde que entrou no restaurante e te vi estava louco pra te beijar –eu

Ela deitou-se na cama sem dizer mais nada, eu sentei no computador sem saber o que fazer e meio envergonhado, ela do nada puxou um assunto que a muito tempo tinha comentado com ela no MSN:

- E aquele lance de podolatria? –ela
- O que tem? –eu
- Você ainda gosta de pés? –ela
- Sim! –eu
- Como é isso? –ela
- Aahhh Grazi, já te contei como é, deixa isso pra lá. Me desculpa o beijo, não me contive, as vezes sou impulsivo e faço essas besteiras... –eu interrompindo
- Eu gostei do beijo! –ela
- ...não devia ter –parei de falar, pensando no que ela tinha dito e continuei- ...como assim?
- Se eu não tivesse gostado, não tinha retribuído, vai, como é o lance da podolatria? –ela

Fiquei meio sem ação, sem saber o que fazer, gaguejei, acho que fiquei branco, vermelho, azul, roxo... rs... uma mulher linda a minha frente, deitada na minha cama e dizendo que gostou do meu beijo, resolvi ir pro tudo ou nada:

- Faz assim –eu levantando da cadeira- vou te mostrar como é!

Fui até a beirada da cama, me ajoelhei aos pés dela, abri o zíper da bota, percebendo que ela estava de meia, quando terei a bota, a meia era daquelas que não cobrem o pé, com uma renda no tornozelo, linda de mais, os pés eram perfeitinhos, os dedinhos todos alinhados e delicados, feito francesinha com detalhe de florzinha, no pé direito revelou-se uma borboleta tatuada, dei um beijinho de leve e fui para o pé esquerdo, tirei a bota, notei as solinhas, bem cuidadas e macias, uma delicia de pezinho, comecei a beijar a parte de cima do pé, passei pelo dedão e indo para com minha língua na sola, chupando, mordiscando, voltei para os dedos, chupando um a um meu tesão foi aumentando e notei que ela gostava, já estava de olhos fechados e com a respiração mais ofegante, foi quando ela veio para frente, sentou-se na beirada da cama e me beijou a boca, eu passei a beijar o pescoço e a orelha dela e ela dizendo que estava muito excitada e tava gostando daquilo, foi quando ela tirou minha camisa e deitou-se novamente, passando os pés no meu peito, ela sabia que eu adorava isso, foi descendo os pés até minha barriga, desceu mais tocando meu membro, viu como eu estava excitado, ele pulsava em minha calça, louco para ser tocado por aqueles pés lindos.

Levantei e pedi para que Grazi se levantasse, continuei a beija-la e fui desabotoando, botão, por botão do seu sobretudo revelando uma surpresa, ela vestia um conjunto de cinta liga preto, um fio dental, e as meias eram 7/8, fiquei maluco ao ver aquilo, aquela loira de corpo escultural, com uma lingerie maravilhosa daquelas, era a visão mais linda de uma mulher que eu poderia ter. Ela também foi desabotoando minha calça, tirando minha cueca, sentei na cadeira e disse

- Agora vamos brincar com seus pés
Ela disse:
- Ainda não!
Foi até o banheiro, tirou a faixa de amarrar o roupão, voltou e me amarrou a cadeira.
- Agora sim, vamos brincar! – disse ela.
Nisso foi pra cama, deitou-se, e começou a passar o pé em minha boca, meu peito, barriga, depois subia novamente, eu já tremia de tanto tesão, foi quando ela desceu os pés e começou a passá-los em meu pau, fazendo um footjob delicioso, para provocar ainda mais, ela deitou-se de bruços e continuou a passar o pé em mim, mas exibindo seu bumbum que era lindo, as vezes, ficava de quatro, quando percebia que eu estava quase gozando, subia os pés para minha boca.
Novamente ela virou de barriga pra cima, colocou as solinhas na minha boca e eu chupei com muita vontade seus pés, foi quando ela ficou de pé em cima da cama e tirou a calcinha e disse que ia me soltar mas só se eu fizesse tudo o que ela mandasse, mal sabia ela que era tudo o que eu queria, ela me dominando.

.....................................

Após me soltar, ela deitou-se na cama e disse:
- Me chupe!
Eu sem hesitar, cai de boca nela, chupando-a bem gostoso, deixando ela mais molhada do que já estava, ela me agarrava pelo cabelo, puxando com força minha boca contra o seu clitóris, aquilo me deixava louco de tesão, foi quando ela virou de quatro e mandou que eu chupasse ainda mais, ela rebolava em meu rosto, esfregava o bumbum todo em mim, eu sentia submisso a ela, pois toda a situação, velocidade e intensidade de como chupa-la, era ela que controlava, ela que comandava tudo.

Foi quando ela disse, me penetre e seu desejo é uma ordem, começamos a transar de quatro, uma loucura, ela se mechendo, rebolando, quando eu me empolgava ela já mandava eu ir devagar, não deixando eu gozar.

Ela quis trocar de posição, me deitei e ela veio por cima, com o bumbum virado pra mim, as mãos apoiadas em minhas coxas, rebolava muito... eu passava as mãos pela cintura dela, pelas costas, me sentei, tirei o soutien dela e fui beijando as costas e nuca e tocando os seus seios.

Mudamos para um papai e mamãe, agora já tinha deixado o ar de dominadora e olhava dentro dos meus olhos, aquele olhar sacana, eu já não me agüentava, ela passava os pés na parte de trás de minhas coxas, me abraçava com as pernas, unhava minhas costas, eu segurava os cabelos dela, beijava o pescoço, foi quando ela gemeu e gozou, eu sem agüentar vendo a expressão dela gozando, gozei junto numa explosão de prazer, me estremeci todo e cai sobre ela com meu corpo já suado, nos beijamos lentamente e ela abriu um sorriso lindo, olhando dentro dos meus olhos... em seguida fomos para o banheiro tomar um banho junto, mas isso da outro conto que eu posso contar outro dia.

Via contos podo

1 comentários:

FeetHunter disse...

Aahhh Obrigado!! :)

Adorei....

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe

Share |

Importante

Gostaria de deixar claro que algumas imagens e alguns textos contidos neste blog são retirados da internet, se os proprietários ou donos dos direitos autorais dos mesmos, não estiverem de acordo com a sua publicação, favor entrar em contato comigo!
Agradecida loira_delicia.